Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Idiotice em estado puro...

Desta vez vem da Grã-Bretanha onde um tribunal britânico ia emitir mas depois não emitiu um mandado de captura contra Tzipi Livni por supostos crimes de guerra ocorridos na ofensiva em Gaza há cerca de um ano.

 

Enfim, se os ingleses se dedicassem mas é a caçar os terroristas que têm em casa é que faziam bem. Agora dar largas a estas fantasias de jurisdições universais, um dia, vai acabar mal para alguém e não sei se os países que detêm estas juridisções não se irão arrepender.

 

Entretanto, em Israel, nega-se que esse mandado tenha existido, mas o facto é que ela não pôs os pés em Inglaterra (e fez bem...).

 

Israel tem sido o país mais cuidadoso, quando em guerra, para com as populações civis, até porque enfrentam assassinos que não têm problemas em se disfarçar junto da população civil, casuando-lhe inúmeras mortes desnecessárias. No entanto, toda a intellegentsia europeia dedica-se a demonizar o único país do Médio Oriente que é uma verdadeira democracia.

 

Nova desgraça na ONU

Já se estava à espera, mas é sempre triste ver, uma vez mais, a ONU a alinhar com aqueles que querem limitar a liberdade de expressão em nome do respeito por todos:

 

Une commission de l'ONU a adopté lundi une résolution appelant les Etats à empêcher, y compris par la loi, le dénigrement des religions, et affirmant que l'islam est souvent et faussement associé aux violations des droits de l'Homme et au terrorisme.

 

Esta resolução foi patrocinada pelos países islâmicos, Bielorrússia e Venezuela, tudo democracias excelentíssimas.

 

A reolução apela a que se impeça pela lei que se denigra a religião, mas, depois, desmascarando a sua verdadeira intenção, só fala nos mulçumanos que, segundo esta resolução, seriam falsamente acusados de terrorismo:

 

La résolution "note avec une vive inquiétude que la campagne globale de dénigrement des religions et l'incitation à la haine religieuse en général, notamment la discrimination ethnique et religieuse à l'égard des minorités musulmanes, se sont intensifiées depuis les événements tragiques du 11 septembre 2001".

 

L'Assemblée se déclare "profondément préoccupée par le fait que l'islam est souvent et faussement associé aux violations des droits de l'Homme et au terrorisme."

 

É claro que, casos como os que aconteceram no Cairo não entram no vocabulário desta resolução. Nâo, são os muçulmanos é que têm direito a ser mencionados como falsamente acusados e vítimas da intolerância dos outros. Quanto a intolerância dos muçulmanos contra as minorias nos países em que são maioritários, nada, nada consta, desconhecem.

 

Razão tem a ONG UN Watch:

 

"C'est la dernière salve d'une série de résolutions de l'ONU qui cherchent dangereusement à introduire les interdits islamiques contre le blasphème dans le vocabulaire du droit international", a déclaré son directeur, Hillel Neuer, dans un communiqué.

"Les droits de l'Homme ont été conçus pour protéger les individus, pour garantir à chaque personne la liberté d'expression et la liberté de culte, mais certainement pas pour protéger quelque croyance que ce soit, religion comprise", a-t-il ajouté.

Mas, enfim, esperar bom senso da ONU é algo como estar à espera das calendas gregas.

Mais uma idiota útil

Já toda a gente sabe que não é por se ser figura pública ou artista ou outra coisa qualquer no âmbito da cultura que se tem bom senso ou até, ideias esclarecidas.

Deste vez foi Fanny Ardant que decidiu dizer disparates, numa entrevista à revista italiana feminina A. Segundo o Libération, Fanny Ardant  disse:
 

«J’ai toujours considéré le phénomène des Brigades rouges comme passionnant et captivant. C’était une époque où il fallait choisir son camp, il y avait ceux qui décidaient de prendre les armes et qui pouvaient tuer ou se faire tuer. Aujourd’hui en Italie […], les seuls intérêts sont économiques», déclare l’actrice à l’hebdomadaire féminin A (Anna). Alors qu’on lui faisait remarquer que de nombreux protagonistes italiens de l’époque avaient «fini au gouvernement», elle a répondu: «Vous en avez un qui pour moi est un héros. Renato Curcio. Lui n’est pas devenu un homme d’affaires.»


Esta senhora considera como herói um assassino... Brilhante.

Choque de civilizações

Esta notícia é interessante porque mostra como muitos ocidentais não compreenderam (nem aprenderam) nada sobre a verdadeira tragédia que foi o comunismo nas suas diferentes variantes:

Actress Cameron Diaz appears to have committed a major fashion crime in Peru.

The voice of Princess Fiona in the animated Shrek films may have inadvertently offended Peruvians.

They suffered decades of violence from a Maoist guerrilla insurgency by touring there on Friday with a bag emblazoned with one of Mao Zedong's favourite political slogans.

While she explored the Inca city of Machu Pichu high in Peru's Andes, Diaz wore over her shoulder an olive green messenger bag emblazoned with a red star and the words 'Serve the People' printed in Chinese on the flap, perhaps Chinese Communist leader Mao's most famous political slogan.

While the bags are marketed as trendy fashion accessories in some world capitals, the phrase has particular resonance in Peru.

The Maoist Shining Path insurgency took Peru to the edge of chaos in the 1980s and early 1990s with a campaign of massacres, assassinations and bombings.

Nearly 70,000 people were killed during the insurgency.

A prominent Peruvian human rights activist said the star of There's Something About Mary should have been a little more aware of local sensitivities when picking her accessories.

Ao que parece ser moda trazer um dos símbolos de um dos maiores assassinos da história do mundo. Nada a que não estivessemos  já habituados, afinal há muita gente que usa acessórios com a imagem de um criminoso de guerra como o Che Guevara.

Só que aqueles que verdadeiramente sofreram na pela os horrores dessa ideologia assassina não acham muita piada a isso. É, no mínimo, compreensível. Só as mentes brilhantes dos nossos progressistas ocidentais é que não vêem isso.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

  •  
  • Notícias

  •  
  • Política e Economia

  •  
  • Religião

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2005
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2004
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2003
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D