Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Humanae Litterae

Acabei de criar um novo blog, o Humanae Litterae, onde começarei a publicar os meus textos mais relacionados com as Humanidades (não quer dizer que deixarei de publicar esse tipo de textos aqui, mas, em princípio, os textos dedicados ao novo blog serão mais longos e, por vezes, bastante específicos).

Ainda não tem nenhum artigo, mas, em breve (isto é, espero que já amanhã) poderão começar a ler esses artigos. De qualquer forma, dar-se-á aqui informação da publicação de artigos no novo blog.

2 aniversários e 1 despedida

Hoje faz um ano que Francisco José Viegas começou o seu excelente Aviz. Daqui os meus parabéns.

Outro aniversário é o do O Comprometido Espectador do Luciano Amaral. Mas, neste caso, o aniversário é acompanhado de uma despedida, pois o Luciano decidiu acabar o blog. É óbvio que as razões dadas são mais que poderosas e, por minha parte, compreendo-as bem. De qualquer modo é pena, pois era um blog que eu lia sempre. Espero de qualquer modo que ele arranje modo de ir intervindo.

Super Flumina

Este blog tem tido hoje um número anormal de visitas devido a referência que lhe foi feita no Abrupto hoje.

Assim, para aqueles que o visitam pela primeira vez, trata-se de um blog pessoal, de tendência conservadora (mas, ao contrário de uma grande parte dos blogs chamados de direita, tenho uma formação em Humanidades) onde tento, diariamente, publicar as minhas opiniões sobre política em geral, cultura, literatura e, logo que tenha mais um pouquinho de tempo, também de linguística (é a única maneira de conseguir ler Chomsky) e tradução.

Espero que os que o visitaram pela primeira vez tenham gostado e, já agora, voltem sempre.

Porquê "Super flumina"

"Super flumina" são as duas primeiras palavras da tradução latina do salmo 137 (mais conhecido por salmo 136 por ser essa a numeração na tradução grega dos Setenta e na antiga versão da Vulgata, bem como em traduções portuguesas mais antigas).

Este famoso salmo colectivo de súplica relembra a tristeza dos exilados na Babilónia por terem sido afastados de Jerusalém depois da queda desta cidade em 586 a.C.

É um dos salmos mais famosos do Livro de Salmos e teve um enorme impacto na literatura ocidental devido às numerosas composições poéticas que o tiveram como base de partida. No caso português, basta lembrar por exemplo Camões com as suas redondilhas "Sobre os rios" (ou "Sôbolos rios" na edição de 1598) ou ainda D. Francisco Manuel de Melo com o seu monumental "O Canto de Babilónia".

No entanto, este salmo de súplica tem um desenvolvimento surpreendente quando a partir do versículo 7 abandona o seu tom elegíaco para tomar a forma de uma violenta invectiva contra a Babilónia, desejando o seu castigo segundo a lei de Talião.
Este salmo, que se pode classificar como um salmo colectivo de súplica, teve, como já disse, uma enorme influência na literatura ocidental até aos dias de hoje (é claro que, actualmente, é bem menor). Procurarei dar aqui conta dos autores mais interessantes que sobre ele escreveram, tentar evidenciar a forma como o exploraram .

PSALMUS 137 (136)
1 Super flumina Babylonis,
illic sedimus et flevimus,
cum recordaremur Sion.
2 In salicibus in medio eius
suspendimus citharas nostras.
3 Quia illic rogaverunt nos,
qui captivos duxerunt nos,
verba cantionum,
et, qui affligebant nos, laetitiam:
“Cantate nobis de canticis Sion ”.
4 Quomodo cantabimus canticum Domini
in terra aliena?
5 Si oblitus fuero tui, Ierusalem,
oblivioni detur dextera mea;
6 adhaereat lingua mea faucibus meis,
si non meminero tui,
si non praeposuero Ierusalem
in capite laetitiae meae.
7 Memor esto, Domine, adversus filios Edom
diei Ierusalem;
qui dicebant: “ Exinanite, exinanite
usque ad fundamentum in ea ”.
8 Filia Babylonis devastans,
beatus, qui retribuet tibi retributionem tuam,
quam retribuisti nobis;
9 beatus, qui tenebit
et allidet parvulos tuos ad petram.
(versão Nova Vulgata)

Salmo 136
1 Junto dos rios de Babilónia,
ali nos assentámos a chorar,
lembrando-nos de Sião.
2 Nos salgueiros que lá havia,
pendurámos as nossas cítaras.
3 Os mesmos que nos tinham levado cativos
pediam-nos que cantássemos (os nossos) cânticos.
E os que à força nos tinham levado
diziam: Cantai-nos um hino dos cânticos de Sião.
4 Como cantaremos o cântico do Senhor
em terra estranha?
5 Se me esquecer de ti, Jerusalém,
ao esquecimento seja entregue a minha direita.
6 Fique pegada a minha língua às minhas fauces,
se eu não me lembrar de ti,
se não me propuser Jerusalém,
acima de todas as minhas alegrias.
7 Lembra-te, Senhor, dos filhos de Edom,
que, no dia de Jerusalém, diziam:
Destruí, destruí até aos fundamentos.
8 Filha desgraçada de Babilónia,
bravo o que te der o pago
do que nos fizeste sofrer.
9 Bravo o que apanhar às mãos,
e fizer em pedaços contra uma pedra os teus filhinhos.
(trad. da Vulgata do Pe. Matos Soares, Edições Paulistas)

Para uma versão directa do original pode consultar-se a Nova Bíblia dos Capuchinhos da Difusora Bíblica.

É um salmo extraordinário que permitiu, por exemplo, que Camões partindo do paralelismo ente a lição bíblica e o seu reflexo na situação terrena do cristão transferisse esse paralelismo para a problemática da poesia, seu conceito e função.

Começar...

Leitor de blogs há já quase um ano, hesitei muito antes de fazer eu próprio o meu blog. Por fim, eis-me aqui ainda em fase de instalação, pois não sei se este irá se o "template" definitivo e porque também ainda não escolhi todos os "links" que deverão figurar na coluna da esquerda. Neste blog falarei de política, de literatura, de linguística e de tudo aquilo que me apetecer. Dito isto, mãos à obra...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

  •  
  • Notícias

  •  
  • Política e Economia

  •  
  • Religião

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2005
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2004
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2003
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D