Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Super Flumina

Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt

Convenção Republicana

Enquanto trabalho (a noite é boa para fazer traduções, há mais sossego), vou vendo a convenção republicana na CNN. Num dos primeiros discursos, uma senhora, Meg Whitman, ex-presidente e CEO do Ebay, disse uma coisa muita acertada, que o nosso primeiro deveria saber, que os estados não criam empregos, só os indivíduos é que o fazem.

 

Por cá, há quem pense que o governo é que cria empregos. Enfim...

 

Bem, vou ver ser aguento a trabalhar para assistir ao resto dos discursos, pois no programa, para além da Sarah Palin (lá para as 3 h 30 m), ainda temos Romney, Huckabee e Giuliani, entre outros menos conhecidos.

 

P.S. Já agora, os nossos jornalistas também deveriam ver a convenção, pois as notícias que vi durante o dia na RTP e na SIC, no que se refere à cobertura da sessão de terça-feira, foi pouco menos que miserável, concentrando-se antes no "escândalo" e no "embaraço" devido à gravidez da filha de 17 anos de Sarah Palin, em vez dos discursos de Fred Thompson ou de Joe Liebermann (de que deram excertos pequeníssimos).

O efeito Palin

John McCain surpreendeu o establishment norte-americano ao nomear Sarah Palin como candidata a vice-presidente. A esquerda norte-americana não tardou a fazer os ataques rasteiros que costuma fazer (inventando histórias sobre o filho mais novo, por exemplo).

 

É claro que para a esquerda Palin, tal como Margaret Thatcher, Condoleeza Rice ou Manuela Ferreira Leite não contam como representantes das mulheres na política. Não, para esta esquerda, elas são apenas homens com saias.

 

Ana Gomes, nesta entrada do Causa Nossa, repete algumas de linhas de ataque à Sarah Palin que a esquerda americana tem tentado passar nestes últimos dias. Como por exemplo, esta escolha eliminar dois dos argumentos de McCain contra Obama: a falta de experiência e a  de ter a substância das "celebrities". 

 

Na questão da experiência, se virmos bem, Sarah Palin é a única entre os quatro candidatos (democratas e republicanos) que tem alguma experiência executiva. Dir-me-ão que ser mayor em Wasilla ou governadora do Alasca não é grande coisa. Pois, mas em termos de funções executivas, nenhuns dos outros 3 tem isto sequer. Sobre esta questão da expeirência, Ana Gomes refere ainda um reporter na TV que perguntava se ela "seria capaz de apontar o Irão no mapa?". Sinceramente, não sei se ela é capaz de o fazer ou não, mas sei que Obama, no ano passado, estava disposto a telefonar ao presidente do Canadá. Penso que, por esta altura, Obama já deverá saber que o chefe de estado do Canadá é a rainha Isabel II, representada pelo Governador-Geral (actualmente, é uma Governadora-Geral), sendo as funções executivas competência do primeiro-ministro (interessante é ver como Joe Biden atacou na altura, a propósito deste episódio, a falta de liderança presidencial de Obama).

 

Quanto à menção da Sarah Palin na capa da Vogue, a Ana Gomes foi enganada pelo Photoshop (como o Gabriel já o demonstrou).

 

Quanto à gravidez da filha adolescente, parece-me que ela fará mais bem do que mal à campanha de McCain. Obviamente, vão acusar os republicanos de serem hipócritas, por  a Sarah Palin defender os valores familiares e depois a filha dela ficar grávida. esta acusação é das mais estúpidas que pode haver. Só mesmo quem não tem filhos adolescentes pode dizer tal disparate. O máximo que nós podemos fazer é tentar inculcar os princípios que pensamos ser mais correctos, mas os adolescentes têm a sua própria cabeça.

 

Quanto ao resto, Palin teve pelo menos o efeito de fazer que, no final do mês de Agosto, a campanha de McCain conseguisse recolher 47 milhões de dólares (para além de a sua nomeação como vice-presidente 12 horas depois do discurso de Obama ter feito desaparecer das notícias a convenção democrática).

 

Mas ainda vamos ter muitas histórias  sobre Palin até ao fim (há muita gente à procura dos seus esqueletos no armários, é pena que não procurem fazer o mesmo nas relações perigosas que Obama teve em Chicago).

 

 

Multiculturalismos

Obviament que um título como este  Londres: muçulmanas apelam à morte de homossexuais e apóstatas no IOLDiário já não espanta ninguém. E depois há gente que pensa que é a pobreza e o desespero que provocam o terrorismo islâmico.

 

O programa que a notícia refere é o Undercover Mosque: The Return transmitido hoje no Channel 4. Em Janeiro 2007, foi transmitido o Undercover Mosque que mostrou na televisão como os imãs radicais no Reino Unido pregavam o ódio a tudo quanto não fosse islâmico.

 

O mais extraordinário após a emissão deste programa foi o facto da West Midlands Police e o Crown Prosecution Service terem feito queixa no Ofcom (o regulador britânico) contra os produtores do programa, porque o programa, através da edição, terá  distorcido as declarações dos que apareceram no programa. O Ofcom rejeitou as queixas,  os produtores puseram uma acção por difamação à polícia e ao CPS, que foram obrigados a pedir desculpa e a pagar indmenizações (ver aqui para mais pormenores). É extraordinário como a polícia britânica é tão politicamente correcta.

 

Enfim...

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

  •  
  • Notícias

  •  
  • Política e Economia

  •  
  • Religião

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2005
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2004
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2003
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D