Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. NATO, Kosovo e criminosos

. A França tem razão

. Líricos...

. Tratado de Lisboa

. O sim da Irlanda

. Excelentes indicadores

. Democracia à moda da extr...

. Ainda as eleições de onte...

. PSD ganhou mesmo

. Primeiras projecções

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Sábado, 18 de Dezembro de 2010
NATO, Kosovo e criminosos

Já há algum tempo que não escrevia sobre o Kosovo, mas quem quiser saber a minha opinião, basta escrever a palavra Kosovo em "pesquisar este blog" e dar-lhe-á 14 resultados, referentes às entradas em que, por um motivo ou outro, falei neste tema.

 

Tendo em conta o que eu disse anteriormente, não fui certamente surpreendido por esta notícia do Público, sobre a acusação, num relatório do Conselho da Europa, feita ao primeiro-ministro do Kosovo de actividades criminosas na recolha ilegal de órgãos humanos. O relatório, que pode ser lido aqui, O relatório diz coisas que qualquer observador imparcial sabia. Por exemplo:

 

13. The appalling crimes committed by Serbian forces, which stirred up very strong feelings worldwide, gave rise to a mood reflected as well in the attitude of certain international agencies, according to which it was invariably one side that were regarded as the perpetrators of crimes and the other side as the victims, thus necessarily innocent. The reality is less clear-cut and more complex.

 

14. The Parliamentary Assembly strongly reaffirms the need for an absolutely uncompromising fight against impunity for the perpetrators of serious human rights violations, and wishes to point out that the fact that these were committed in the context of a violent conflict could never justify a decision to refrain from prosecuting anyone who has committed such acts (see Resolution 1675 (2009)).

 

15. There cannot and must not be one justice for the winners and another for the losers. Whenever a conflict has occurred, all criminals must be prosecuted and held responsible for their illegal acts, whichever side they belonged to and irrespective of the political role they took on.

 

Facto é que a NATO permitiu que os combatentes do UÇK tivessem durante bastante tempo mão livre sobre o território, tal como o relatório o reconhece:

 

9. During the decisive phase of the armed conflict, NATO took action in the form of air strikes, while land operations were conducted by the KLA, de facto allies of the international forces. Following the departure of the Serbian authorities, the international bodies responsible for security in Kosovo very much relied on the political forces in power in Kosovo, most of them former KLA leaders.

 

10. The international organisations in place in Kosovo favoured a pragmatic political approach, taking the view that they needed to promote short-term stability at any price, thereby sacrificing some important principles of justice. For a long time little was done to follow-up evidence implicating KLA members in crimes against the Serbian population and against certain Albanian Kosovars. Immediately after the conflict ended, in effect, when the KLA had virtually exclusive control on the ground, many scores were settled between different factions and against those considered, without any kind of trial, to be traitors because they were suspected of having collaborated with the Serbian authorities previously in place.

 

Sempre fui contra a intervenção da NATO do Kosovo porque, na prática, ela nada resolveu, apenas criou um estado pária e falhado que suga dinheiro aos contribuintes europeus e serve como plataforma do banditismo internacional.

publicado por Rui Oliveira às 15:55
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010
A França tem razão

Num momento de grande crise, pode parecer altamente impopular e, para muitos, até imoral, mas o ministro da defesa francês tem razão quando diz que “os países europeus demitiram-se, na maioria, de uma ambição simples: dispor de um aparelho militar que lhes permita ter peso nas questões mundiais” (em francês, aqui). Muita gente pensará que os exércitos não são mais necessários, que é coisa do passado, ou então que estamos no mundo pacífico em que tudo se resolve com diplomacia. Errado, completamente errado.

 

G. K. Chesterton disse que "If I am to discuss what is wrong, one of the first things that are wrong is this: the deep and silent modern assumption that past things have become impossible". Ninguém nos diz que no futuro a Europa não precise de ter um sistema militar que assegure a sua autonomia nesta área. Não compreender esta necessidade é pensar que vivemos num mundo de fantasia isolado do resto do mundo, onde os conflitos violentos continuam a ocorrer e a nações se armam cada vez mais.

publicado por Rui Oliveira às 19:02
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009
Líricos...

Através do 5 dias fiquei a saber que há uns pândegos que querem realizar uma ioditice qualquer chamada "No Berlusconi Day". Que Berlusconi não flor que se cheire, estamos de acordo. Mas também considero que entre ele e o Prodi, os italianos fizeram a escolha certa.

 

Quanto à democracia italiana estar em perigo, tenho as minhas dúvidas. Parece-me que a portuguesa está bem pior. Mas, afinal, o que é que estes senhores querem. Berlusconi foi eleito e a menos que cometa alguma crime, deverá cumprir o seu mandato se para isso tiver engenho e arte (embora as coisas no seu governo não estejam a ir lá muito bem).

 

Mas, enfim, que ser divirtam ao menos com a iniciativa.

publicado por Rui Oliveira às 21:29
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009
Tratado de Lisboa

Hoje, entrou em vigor o Tratado de Lisboa com (alguma) pompa e circunstância. De facto, também o motivo não era de muito pompa ou festa, pois o processo de ratificação deste tratado foi tortuoso e muito pouco transparente. A escolha de Van Rumpoy e Catherine Ashton foi também mais um sinal da falta de transparência e até da alguma irrelevância que os cargos para os quis foram escolhidos terão.

 

Enfim, a união burocrática a que temos tido direito.

publicado por Rui Oliveira às 23:56
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 3 de Outubro de 2009
O sim da Irlanda

À segunda, a Irlanda disse sim ao Tratado de Lisboa. Não fiquei propriamente contente, ainda para mais porque se passou o mesmo filme que já se tinha passado com Maastricht quando os dinamarqueses à primeira reprovaram o tratado e fizeram um segundo referendo para que eles dissessem sim. O problema é que quando se obtém o resultado que os eurocratas querem, deixa de haver novos referendos.

 

E os irlandeses até foram felizes, puderam votar. Nós não tivemos essa sorte.

publicado por Rui Oliveira às 23:53
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 27 de Setembro de 2009
Excelentes indicadores

Ainda nada está confirmado, mas esta notícia do Público é um excelente indicador. A possibilidade do fim do bloco central na Alemanha é óptimo. A colicação CDU/CSU com o FDP é exactamente aquilo que a Europa precisa. Esperemos que seja que aconteça.

publicado por Rui Oliveira às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Junho de 2009
Democracia à moda da extrema-esquerda

Quando se fala do perigo pelos resultados da extrema-direita nas eleições europeias, talvez fosse de notar que grande parte da violência urbana que acontece actualmente na Europa é obra de grupos extremistas de esquerda, da Itália à Suécia.

Por isso, não admira que estes "antifascistas" suecos tenham andado em nome do combate ao fascismo a agredir pessoas e assaltar sedes de outros partidos, conforme informa o jornal The Local.

"We noted around twenty incidents of violence against people or property. The Sweden Democrats were not the only ones affected; the Liberal and Moderate parties were also hit," said Johan Olsson, chief analyst for Säpo's constitutional protection division. [...]
"It's part of what they call their anti-fascist agenda. They don't believe that parties they consider critical of immigrants or opposed to workers' rights should be permitted to operate undisturbed," Olsson told news agency TT.


É comovente a tolerância que estes "antifascistas" têm para com as opiniões dos outros. E já se sabe o que acontece quando este tipo de "anti-fascistas" sobem ao poder: crescem os gulags.

publicado por Rui Oliveira às 15:12
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Junho de 2009
Ainda as eleições de ontem

Depois das eleições de ontem, não há dúvida que as próximas eleições legislativas não serão um passeio para o PS, como muita gente propalava ainda não há muito tempo. Quando saiu a sondagem da Marktest que colocou o PSD na frente, muita gente na blogosfera escreveu coisas do género "vou sonhando", "nem em sonhos" e coisas como essas, para além de escritos mais ou menos irónicos sempre a apoucar o PSD. Ontem, muita dessa blogosfera esteve, estranhamente, calada depois das 20 horas. Parece que o sapo custou a engolir.

 

A percentagem do PSD não foi muito elevada, mas é um primeiro sinal e, como acima foi dito, tal nem sequer era contemplado por muitos dos comentadores há umas poucas semanas atrás. Nem esta percentagem pode servir para diminuir a vitória do PSD tal como fez Louçã ontem. Facto é que, o PSD se recolocou na corrida para a vitória nas Legislativas.

 

De qualquer modo, foi um pouco ridículo por parte da SIC apresentar uma sondagem para as Legislativas, num dia em que se contavam votos. Parece que já estava feita de propósito para 1) lançar o PS para as legislativas (caso este vencesse as Europeias); 2) diminuir o impacto da vitória do PSD (que, provavelmente, eles imaginariam como caso impossível). Foi um exercício inútil.

 

Quanto ao resto, é realmente impressionante haver mais de 20% de votos em partidos de extrema esquerda. Muita gente reclamava do PSD alternativas às políticas do PS. Se a gente olhar para as alternativas da extrema esquerda, veremos apenas ideias para afundar ainda o país. Enfim, mas conseguiram convencer mais de 20% do eleitorado. Suponho que nas Legislativas não terão este valor.

publicado por Rui Oliveira às 09:28
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 7 de Junho de 2009
PSD ganhou mesmo

A esta hora, parece mesmo que, a não ser que se passa algo muito estranho nas poucas freguesias que faltam, o PSD vai vencer. É bom, é mesmo muito bom. A única coisa má são os mais de 20% da extrema esquerda. Enfim, mas pode ser que nas legislativas eles voltem a encolher. Espera-se.

publicado por Rui Oliveira às 21:28
link do post | comentar | favorito
|
Primeiras projecções

TVI, RTP e SIC dão o PSD como provável vencedor. Tudo está ainda muito incerto, mas as primeiras indicações são boas. Vamos ver ser elas se confirmam. A noite promete.

publicado por Rui Oliveira às 20:02
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds