Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Terça-feira, 25 de Setembro de 2012
TSU, IRS e outros contos de terror

Desde que Passos Coelho, muito desatradamene, veio anunciar o aumento de TSU para os trabalhadores e a descida da mesma para a parte patronal o país parece que entrou em histeria colectiva. Estava-se a roubar aos trabalhadores para se dar aos patrões. Ninguém se lembrou de contestar, por exemplo, o verdadeiro roubo que a própria TSU é ao levar 34,5 % do salário. Fizeram-se manifestações, grandes comunicações ao país, quase se rasgaram as vestes, etc. Resultado: recuo na TSU, provável aumento no IRS. Por isso, não posso deixar de recomendar o texto do meu amigo Hélder Ferreira no Diário Económico: Escolhas. Como muito bem resume o Hélder:

 

O eventual aumento do IRS não tem nenhuma das potenciais virtudes da medida proposta nem sequer na redução da despesa do Estado com os salários e provavelmente aumenta os efeitos nocivos:

 

1. A reposição de salários líquidos será improvável, dado que aumentaria os custos da empresa;

 

2. Despedimentos (ou falência) será a única solução para empresas em precária situação financeira, não sendo, portanto, líquido que a receita do IRS aumente;

 

3. Reduz o corte na despesa do Estado;

 

Posto isto resta-nos, a todos, agradecer encarecidamente ao Tribunal Constitucional, à iliteracia dos media, à inabilidade política do PSD e à irresponsabilidade do PS e do CDS por mais esta insanidade.

 

Enfim... voltem a manifestar-se, s.f.f.

publicado por Rui Oliveira às 12:58
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Maria a 25 de Setembro de 2012 às 13:29
Vou voltar a manifestar-me sim senhor!

Quanto ao amigo Helder, mais valia ter escrito qualquer artigo sobre como eliminar as verdadeiras gorduras do estado, em vez de estar a divagar sobre as formas mais eficientes de roubar quem trabalha.
De Rui Oliveira a 25 de Setembro de 2012 às 14:02
Também eu gostava de ver eliminar as gorduras do Estado, mas mais do que as gorduras do Estado, eu gostava de ver diminuir o Estado, que é absolutamente gigantesco. Um Estado que consome 50% PIB gerado é um Estado ladrão. Se não se quer que o estado roube mais aos trabalhadores, tem que se exigir a diminuição do Estado. Não são só as PPP, energias renováveis ou fundações... Não, há muito mais coisa onde cortar, desde subsídios de toda a espécie até privatizar a RTP e a CGD. Isso sim, aí começamos a fazer poupanças que se veja. Estou longe de apoiar medidas deste governo que vão ao bolso dos contribuintes, mas a solução passa por reduzir o Estado. E isso, não me parece ser o que os manifestantes querem, Por isso, não alinho nisso. Dizer que o Estado rouba (e rouba, sim, senhora!), mas depois quer manter tudo como está com subsídios a todo e a direito e todo cheio de direitos e poucos deveres, não é assim que se vai lá.
De Maria a 25 de Setembro de 2012 às 14:28
Não quero manter tudo como está. Muito pelo contrário... estamos de acordo que o estado tem que diminuir mas não me parece que seja a privatização da RTP ou da CGD que resolva tudo. Até porque não foram estas entidades que levaram o país à bancarrota. Foi má gestão. Má gestão. Podemos ter uma RTP de serviço público bem gerida e mais barata.

Da mesma forma que a educação e a saúde não podem dar lucro. Mas são serviços essenciais que um estado tem que garantir, caso contrário qualquer dia temos um Mitt Romney a mandar vir com o pessoal que acha que o estado tem obrigação de lhes garantir coisas básicas como alimentos e saúde! Onde é que já se viu alguém ter direito a isto de mão beijada?!!!

Enfim, penso que estamos a chegar ao fim de linha de um sistema... Alternativas? Não estou muito segura, mas como está não pode continuar.
De Rui Oliveira a 25 de Setembro de 2012 às 14:36
Aí, estamos de acordo, como está não pode continuar. Mas, aquilo que eu penso que se deve fazer é muito diferente do que a esmagadora maioria dos manifestantes pensa, por isso, não vale a pena manifestar-me pois não me revejo naquilo que ouvi dizer quase todos (para não dizer todos) os manifestantes que ouvi.
Lógico que privatizar RTP (penso que o Estado não tem nada a fazer na Comunicação Social) e CGD (é apenas o braço armado do governo na economia e na banca) não resolve, mas ajuda. Dei estas como exemplo, pois são as mais conhecidas, mas não faltam organismos, empresas e agências governamentais onde cortar. Mas as reformas estruturais são difíceis e não vejo este governo com vontade de mexer em interesses instalados.
De fraufromatlantida a 25 de Setembro de 2012 às 15:33
Tanto quanto sei, a situação das Fundações, continua a ser um "diz que disse". Ainda não ouvi falar de nenhuma que tivesse sido obrigada a encerrar! E sim, só para aqui, vão milhões - destinados a bolsos individuais.

Este é só um exemplo. É que o mais fácil, é ir à arraia miúda!
De Rui Oliveira a 25 de Setembro de 2012 às 16:23
Sim, o caso das fundações é uma vergonha, independentemente dos valores envolvidos. A questão das fundações devia estar resolvida desde o ano passado. Meio dúzia de meses deveria bastar para resolver um problema que, até agora, ainda está em fase de falatório.
De Tó Zé a 25 de Setembro de 2012 às 19:31
Apesar de não concordar com o que diz em relação às privatizações, não consigo entender como é que existem fundações privadas a receber fundos do Estado. Para se ser fundação é preciso um patrono (que não o Estado), se não se tem patrono, então não há fundação.
Em relação às fundações públicas só há duas opções. Se se verificar que é realmente importante para a população, insere-se no controlo de um ministério relacionado com essa área, acabando com os gastos exorbitantes de uma fundação. Se não interessar nem ao menino Jesús, acabe-se com a fundação e não se gaste fundos estatais (que tão preciosos são para o que realmente interessa).
De rruella a 25 de Setembro de 2012 às 19:35
No Brasil vivemos com a presença do FMI por 30 anos.
Foi preciso a coragem de um homem FHC " que vendeu 90% das nossas estatais e botou os para correr de lá.
Uma coisa é certa com o salário da classe média jamais pagaremos os empréstimos.
Se lá funcionou assim por que não aqui.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds