Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Sexta-feira, 1 de Agosto de 2008
A Bíblia e a história

Num comentário ao meu post A falta que os clássicos fazem (II) a Adriana refere que não é só a leitura dos clássicos que faz falta, mas também da Bíblia, como livro fundador da nossa cultura judaico-cristã.

 

De facto, um maior conhecimento bíblico, não são evitaria que alguins tradutores passassem vergonhas (que era disso que se falava nesse post), mas também aumentaria a capacidade de compreensão e/ou interpretaçãode muito que se passa no nosso mundo.

 

É que, ao contrário do que muitos possam pensar, a Bíblia não é uma colecção de superstições/mitos religiosos de um pequeno povo que vivia numa terra para onde confluíram os grande impérios da Antiguidade, mas uma verdadeira biblioteca composta por livros muito diferentes entre si e, que além de tudo, têm, em alguns passos, uma elevadíssima qualidade literária.

 

Mas, a Bíblia é também o testemunho da história de um povo que vive naquela terra há mais de 3000 anos (apesar de haver muita gente a querer negar isso). Frequentemente, a única fonte histórica para determinados factos  é um dos livros da Bíblia. E, nos últimos tempos, alguns desses factos históricos são confirmados por descobertas arqueológicas.

 

Esta que li hoje no The Jerusalem Post é relativa ao tempo do reinado do rei Sedecias (597-586 a.C.), último rei de Judá. Numa escavação foi encontrado um selo de Godolias, filho de Pachiur, ministro do rei Sedecias. Tal como diz a notícia, este selo é o segundo a ser encontrada naquela zona, pois há algum tempo foi encontrado um outro selo, desta vez de um outro ministro desse mesmo rei, Jucal, filho de Chelemias. O interessante deste assunto é que estes dois ministros aparecem referidos no livro de Jeremias (38, 1-4):

 

Chefatias, filho de Matan, e Godolias, filho de Pachiur, e Jucal, filho de Chelemias, e Pachiur, filho de Malaquias, ouviram as palavras que Jeremias dirigira a todo o povo: «Assim fala o Senhor: 'Aquele que ficar nesta cidade morrerá à espada, de fome e de peste; e aquele que sair para se entregar aos caldeus será tomado como despojo, mas terá a vida salva.' Oráculo do Senhor: 'A cidade será entregue nas mãos do exército do rei da Babilónia, para que a conquiste.'»

 

Sigo aqui a tradução da Nova Bíblia dos Capuchinhos, realizada a partir dos textos originais.

 

Certamente no subsolo de Jerusalém há muitos outros vestígios que confirmarão outros factos mencionados na Bíblia. Mas, é sempre fascinante quando tal acontece.

publicado por Rui Oliveira às 16:57
link do post | favorito
|
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds