Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Terça-feira, 25 de Setembro de 2007
Guerra das línguas
Antonio de Nebrija (1444-1522), no seu Prólogo a la Gramatica de la Lengua Castellaña escreveu que "siempre la lengua fue compañera del imperio". E, pelo menos, desde essa altura, muitos entenderam que o avanço de uma língua é uma consequência natural do avanço do império que a fala.

E, ao ler esta notícia no Le Monde, parece-me que muitos deputados franceses também acreditam nisto (claro que, neste caso, o "império" é o americano). O caso é simples de contar: trata-se de um projecto lei a ser votado na Assembleia Nacional francesa que permitirá a ratificação do Protocolo de Londres sobre patentes europeias. E, porquê tanta contestação? Porque o dito projecto de lei permitirá, se adoptado:

au déposant d'un brevet européen de ne plus avoir à traduire sa partie "description" dans les trois langues actuellement obligatoires (français, anglais et allemand), mais dans une seule d'entre elles.

Isto é, quem registar uma patente na Europa passaria a poder fazê-lo em apenas uma das três línguas oficiais, não precisando de fazer a tradução que, como refere a notícia, fica bastante cara.

Ao que parece, apenas 7% das patentes são apresentadas em francês, originalmente. Não sei quantas serão em alemão, mas, certo é, a grande maioria serão apresentadas em inglês. Por isso "les défenseurs de la francophonie redoutent aussi que le protocole ne marque une nouvelle étape vers le " tout anglais".

Chegamos ao busílis da questão: o inglês. Os franceses aceitam mal a perda de influência que a sua língua regista em relação ao inglês nos últimos 50 anos. Não sei é se eles poderão fazer alguma coisa para inverter a situação. De qualquer modo, considero que o Protocolo de Londres é uma boa ideia.

Penso, no entanto, que muita gente sobrestima este perigo da colonização pelo inglês. E a ironia de tudo isto é que muitos americanos pensam que o castelhano está progredir de um modo demasiado veloz nos Estados Unidos.

Poremos concluir que a diversidade linguística da Europa é um dos seus maiores atractivos, mas também uma fonte de problemas. No entanto, seria uma pena se essa diversidade se perdesse. Mas há muitas maneiras de proteger esta diversidade que não passam propriamente por o caso aqui em discussão.
publicado por Rui Oliveira às 23:41
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds