Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Domingo, 4 de Dezembro de 2005
O Crucifixo crucificado
A retirada dos crucifixos é uma polémica escusada e até certo ponto ridícula. A nossa Constituição estabelece a separação entre a Igreja o Estado, pelo que, como católico, a não existência de crucifixos nas salas de aula é coisa que não me preocupa de sobremaneira. Já quanto ao modo como tudo isto começou parece-me tenho mais dúvidas e muitas reticências. Mas estas dúvidas não são só minhas.

Na Grande Reportagem de ontem (sem link), José Manuel Barata-Feyo, dificilmente um direitista, também tem dúvidas sobre o assunto.
Segundo o Diário de Notícias, a ministra Lurdes Rodrigues tomou esta medida a pedido da Associação República e Laicidade (ARL). [...]
Também entendo que a ARL cante uma «vitória do bomsenso», com a qual «ganhamos todos». A associação não tem de ter responsabilidades políticas. Em contrapartida, já me custa a compreender que a ministra não perceba que se trata de uma vitória do mau senso, uma vitória de Pirro, com a qual perdemos todos. Ou, pior ainda, que até o tenha percebido, mas que não tenha tido coragem de dizer «não» ao pedido da ARL (como sugere o facto de a ordem não ter sido dada numa circular dirigida às escolas públicas, mas sim através de um ofício - espécie de circular semiclandestina - enviado às direcções regionais de educação, legitimando que se questione o bom fundamento e, até, a boa consciência da decisão).
[...] a ministra reagiu politicamente à denúncia de uma associação que, em nome do respeito devido a um princípio constitucional, «perquisicionou» Portugal em cata de símbolos religiosos, independentemente da sua exibição originar qualquer tensão social, cultural ou religiosa nas escolas públicas. Igual diligência se espera do Governo perante a clara violação dos preceitos constitucionais que garantemm trabalho e habitação a todos os portugueses. [...]
A segunda evidência é que a ministra não está a prevenir um problema do género que se colocou em França em relação ao véu islâmico, nem sequer a criar um precedente para legitimar a sua futura proibição. [...] Antes pelo contrário, a ministra é que acaba de criar um problema lá onde ele não existia, ao transpor para a realidade nacional um conflito virtual, abstracto e artificial. A cruz, símbolo do cristianismo, não constituía uma ameaça para ninguém, enquanto a sua retirada, «por ofício», vai inevitavelmente cristalizar as atenções e, bem provavelmente, ameaçar a tranquilidade nas escolas - a mesma que a ministra queria acautelar, ao que parece! Temo que renegar o que fomos, para podermos ser o que a ministra acha que somos...
Esta mania de querer vergar a realidade aos ditames ideológicos remete para o cerne da questão porque é típica dos socialistas. [...] O que está errado? Os crucifixos nas escolas ou os 84% dos filhos de imigrante que não se sentem excluídos? São os jovens, é claro, porque os socialistas têm por eles o sentido da História. E se a História não lhes der razão, é a História que está errada... Francamente, deixemos de baixar as calças. Ámen.
publicado por Rui Oliveira às 13:24
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds