Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Quinta-feira, 5 de Maio de 2005
E como será o prazo de pagamento
Leio na TSF Online que a Procuradoria-Geral da República está com falta de dinheiro que até põe em causa a conclusão de alguns processos. E dá-se um exemplo:

Um dos mais complicados dos últimos anos está em risco de não ser terminado por falta de dinheiro. Trata-se de uma burla ao IVA, onde o Estado português perdeu milhares de euros.

Neste caso há arguidos portugueses e estrangeiros, sendo preciso traduzir os três volumes da acusação para norueguês, o que está a prejudicar a fase de instrução.

E pornto, pensam os meus leitores, lá voltamos à tradução. É isso, mas neste caso numa outra vertente. O do mundo real em que os tradutores trabalham.

Já tenho muitos anos de tradução no mercado português e, francamente, se algum tribunal/ministério público português me pedisse para fazer uma tradução deste tipo, duvido que aceitasse. Mas antes de dizer porquê, façamos uma pequena digressão., pois não sei se toda a gente compreende todas as implicações que traduções deste género trazem consigo.

Um processo de burla ao IVA com três volumes é um verdadeiro projecto de tradução. Para além de não saber quantas páginas e/ou palavras representarão esses volumes, tudo apontam para ser uma quantidade considerável. Para além do seu tamanho, que não é pormenor dispiciendo, há ainda a questão da complexidade. Já perdi a conta às traduções jurídicas que fiz entre o francês e o português (pedidas por uma das partes ou por tribunal francês através de uma agência de tradução). Desde a requerimentos a recursos, passando por sentenças diversas (de 1.ª instância ou de relação) já fiz um pouco de tudo. E, apesar da frança influenciar quase tudo em Portugal, a nível do Direito há muitas diferenças e, frequentemente, não correspondência directa. Torna-se necessário explicar, compreender cada um dos sistemas para depois poder transmitir o que está lá dito. Ainda para mais tem que se usar de um rigor terminológico enorme, para não estarmos a dizer barbaridades.

Voltemos aos tais três volumes para norueguês. Primeira dificuldade: a língua de chegada. Quantos tradutores de português-norueguês competentes haverá (tanto em Portugal, como na Noruega, como em qualquer outro lado; as novas tecnologias eliminam o problema da distância)? Depois, se o processo é urgente, que prazo terá o tradutor? Se o prazo é curto, dar o trabalho a mais do que um tradutor? Mas, devido à complexidade, como controlar a homogeneidade do trabalho, consistência terminológica? Certamente haverá um coordenador. Ou seja, na verdade, não pode ser nada barata esta tradução. E não falei ainda do caso da tarifa a aplicar, pois, suponho que sendo uma língua não muito solicitada, há tendência para ter um custo mais caro.

Por tudo isto chego a ponto de partida: quem poderá aceitar este trabalho. É que perante este rol de premissas, é preciso garantia de que o pagamento será efectuado e em devido tempo. É que o tradutor, habitualmente, não tem outros meios de rendimento. Será que a Procuradoria aceita pagar adiantado, parcialmente. Ou, depois do trabalho efectuado, o pagamento ir-se-á arrastar durante meses? É que eu conheço casos de tribunais que não pagaram ainda pequenos trabalhos de tradução. Como será o caso da Procuradoria?

É que isto de tradução não é só uma questão de dinheiro, mas também o é.
publicado por Rui Oliveira às 17:11
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De C.S.A. a 5 de Maio de 2005 às 23:14
Anos, caro Rui. Tribunais, câmaras, Estado. E há mais, mas... p.e., a Gulbenkian, não há muito tempo, achava , na pessoa de um seu representante, que era necessário apenas papel e lápis. Foi a resposta taxativa que me deram.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds