Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009
Quase serviços mínimos

Não foi um jogo de que eu tivesse gostado mutio, mas lá conseguimos ganhar ao Atletico de Madrid.

 

Bom, agora é ganhar os dois jogos ao Apoel e a coisa deve estar quase resolvida. Veremos.

tags:
publicado por Rui Oliveira às 23:59
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 29 de Setembro de 2009
Terá sido mesmo o tradutor?

A notícia já não é nova, pois passou-se no dia em que Khadafi discursou na assembleia-geral das Nações Unidas. Segundo o Correio da Manhã, Khadafi deixa tradutor de rastos.

 

Não quero ser picuinhas, mas Khadafi não deixou o tradutor de rastos, quando muito deixou o intérprete de rastos. Não é exactamente a mesma coisa.

 

Eu sou tradutor, mas nunca serei um intérprete. Cada profissão tem  especificidades próprias que as tornam bastante diferentes. O intérprete embora se prepare para quilo que vai fazer tem que ter sempre uma rapidez de pensamento e um desembaraço admiráveis. Eu prefiro, mesmo com prazos apertados, mais da reflexão que a tradução permite.

 

publicado por Rui Oliveira às 17:31
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009
Só agora?

Mariano Gago fez um aviso aos reitores das universidades portuguesas para não pactuarem com praxes violentas e incita-os a informarem os caloiros de que podem recusar a praxe que não perderão quaisquer direitos:

 

Mariano Gago repudia as “práticas de humilhação e de agressão física e psicológica” com carácter “fascista e boçal” infligidas aos caloiros no ensino superior, “identificadas ou desculpadas como ‘praxes’ académicas”.

Pela “extraordinária gravidade” de algumas destas práticas, impõe-se “uma atitude de responsabilidade colectiva” que “não permite qualquer tolerância” com “insuportáveis violações do Estado de Direito” no meio académico. “A degradação física e psicológica dos mais novos como rito de iniciação é uma afronta aos valores da própria educação e à razão de ser das instituições de ensino superior e deve ser eficazmente combatida por todos: estudantes, professores e, muito especialmente, pelos próprios responsáveis das instituições”, defende o governante.

 

Há muito tempo que considero as universidades como responsáveis pelo que de mau há nas praxes. Mas parece que Mariano Gago, ministro desde 2005, só agora se apercebeu disso. Enfim, mais vale mais tarde do que nunca. 

publicado por Rui Oliveira às 22:44
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 27 de Setembro de 2009
Masoquistas

Parece-me que o povo português tem tendência para o masoquismo. Foi f - - - - - forte e feio nos últimos quatro anos e voltou a insistir. Tem o que merece...

publicado por Rui Oliveira às 20:08
link do post | comentar | favorito
|
Excelentes indicadores

Ainda nada está confirmado, mas esta notícia do Público é um excelente indicador. A possibilidade do fim do bloco central na Alemanha é óptimo. A colicação CDU/CSU com o FDP é exactamente aquilo que a Europa precisa. Esperemos que seja que aconteça.

publicado por Rui Oliveira às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 26 de Setembro de 2009
Novamente a praxe

Lentamente a justiça vai abordando o problema dos excessos da praxe. Depois dos casos de Macedo de Cavaleiros e de Santarém, chegou a vez de um caso muito mais grave, o caso passado na tuna da Universidade Lusíada de Famalicão em 2001. Com o processo-crime arquivado, a família moveu um processo cível que teve agora uma decisão, com a Universidade Lusíada a ser considerada como responsável.

 

É bom que as universidades não se demitam das suas responsabilidades, pois a grande parte nada faz para controlar os excessos da praxe. Este caso é demasiado lamentável para se falar muito sobre ele e deveria envergonhar toda academia.

 

Já por diversas manifestei neste blog a minha oposição às praxes. A conversa da integração não me convence e ler testemunho como este no Correio da Manhã não são muito encorajadores:

 

"COMEMOS NO CHÃO MAS É DIVERTIDO",

Ricardo Caeiro, 17 anos, Universidade de Évora

As praxes facilitam a integração. Os veteranos metem-nos ovos na cabeça, pintam-nos a cara e as mãos, mas o melhor são os jantares. Comemos no chão, com uma colher, mas é divertido e não pagamos. Ninguém se sente humilhado.

 

Enfim, cada um diverte-se como quer. Mas actividades como esta não me parecem muito inteligentes. Para se sentirem integrados têm que ser humilhados (mesmo que sintam que não), insultados e outras coisas que tal. Parece-me que os "doutores" têm é problemas de auto-estima.

 

Por outro lado, nunca percebi onde está o divertimento de andar em rebanho, como meia dúzia de pastores vestidos de negro a dar ordens. Tudo isto é arcaico, básico...  

 

Odi profanum uulgus et arceo

publicado por Rui Oliveira às 12:54
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009
Arrumar com o Sócrates

No domingo temos a oportunidade de pôr um governo caceteiro, arrogante e manipulador no olho da rua. Por mim é o que tentarei fazer com o meu voto no PSD.

 

Não me esqueço que desde 1996 somos governados por governos socialistas, com o breve interregno dos governos Barroso/Santana Lopes.

 

Portugal empobrece alegremente sob a bota socialista desde 1999. Não se pode pôr todas as culpas na situação internacional, pois op país já estava mal antes da crise rebentar. A recuperação das contas públicas propagandeada por Sócrates é um completo embuste. Por seu lado, o aumento de impostos é bem real.

 

Não só por isto é importante pôr cobro ao reinado desta triste personagem. Por isso, voto em quem pode pôr algum bom senso neste país (por muito que a isso chamem salazarento).

publicado por Rui Oliveira às 20:43
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009
À atenção de Louçã e demais socialistas

Parece-me que o governador de Nova Iorque chegou a uma conclusão brilhante:

"You heard the mantra, 'Tax the rich, tax the rich,' " Gov. David Paterson said Wednesday at a gathering of newspaper editors at an Associated Press event in Syracuse. "We've done that. We've probably lost jobs and driven people out of the state."

Zapatero que esteve em Nova Iorque por estes dias devia ter falado com Paterson para não andar a dizer que os rendimentos mais altos suportarão os aumentos.

Continuem com as ideias brilhantes (e que tão brilhantes resultados têm dado ao longo do tempo)

publicado por Rui Oliveira às 23:38
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009
Mais do mesmo

Uma das estratégias do PS na campanha eleitoral em curso é tentar identificar o PSD com  Salazar ou o Estado Novo, devido ao suposto ultraconservadorismo da sua líder Manuela Ferreira. Leite. Quanto a eles, são uns imparáveis modernistas, arautos do progresso, sers do século XXI, sempre prontos a roçarem-se pelas arestas do futuro.

 

Seguindo esta linha argumentativa (?), o pessoal do PS tornou-se grande leitor dos discursos de Salazar para, encontrando-se algo que possa ser similar (nem que seja de forma muito distante) a qualquer coisa que a Manuela Ferreira Leite possa ter dito. Por isso, não espante que o discurso de Salazar de 9 de Junho de 1928 tenha sido citado num comício do PS, pela voz do inenarrável José Junqueiro, conforme noticia o Público.

 

“Advoguei sempre a politica do simples bom senso contra a dos grandiosos planos, tão grandiosos e tão vastos que toda a energia se gastava em admirá-los, faltando-lhes a força para a sua execução”, lia Junqueiro. “Eu sei o que é que vocês estão a pensar que este é um discurso de Manuela Ferreira Leite, mas não é, este é um discurso feito em 9 de Junho de 1928 e já nem me lembro quem era o primeiro-ministro dessa altura”, afirmou.

 

Para Junqueiro o facto de se ser contra os megainvestimentos públicos é igual a salazarismo. Que iluminado! Retirar frases do contexto e fazer comparações mais ou menos absurdas não é difícil. O problema está longe disso. É antes saber se esses megainvestimentos são o caminho certo para levar Portugal a sair da crise. Tudo o resto é retórica vazia. Ao PS não interessa discutir isso. Não! Interessa mais pôr rótulos nos adversários políticos, que é a melhor maneira de não se discutir nada. Mas também o que se pode esperar de um PS dirigido por esta gente.

 

Já agora, para aumentar um pouco a cultura política de José Junqueiro, o primeiro-ministro no momento em que Salazar proferiu esse discurso era José Vicente de Freitas (entre 18 de Abril de 1928 e 8 de Julho de 1929).

publicado por Rui Oliveira às 16:27
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Setembro de 2009
É a vida

Manuel Marica Carrilho decidiu que não votaria no candidato egípcio e o ministério mandou alguém substituí-lo. Carrilho fez bem, mas deveria demitir-see. Hoje, o candidato egípcio foi derrotado pela candidata búlgara, Irina Bokova. Ainda bem.

 

Como de costume, a nossa diplomacia tem escolhas muito estranhas.

publicado por Rui Oliveira às 22:42
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds