Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Quarta-feira, 31 de Dezembro de 2003
Os Balcãs mexem-se de novo...
A vitória de Vojislav Seselj e do seu partido ultranacionalista SRS veio demonstrar à Europa (e, neste caso, também dos Estados Unidos) quão desastrada tem sido a sua política em relação à ex-Jugoslávia.

Depois da guerra do Kosovo (ilegal, lembram-se?) que não resolveu coisissima nenhuma pois a uma limpeza étnica (de albaneses) praticada pelos sérvios sucedeu-se uma limpeza étnica (de sérvios e outros minorias, como, por exemplo, os ciganos rom) praticada pelos albaneses, tendo como único resultado palpável a queda de Milosevic, a Sérvia, apesar de ter entregue Milosevic ao TPI para a ex-Jugoslávia, foi praticamente abandonada pelos ocidentais, tendo tido um governo corrupto com a cumplicidade dos ocidentais.

Agora, ao fim destes anos, a Europa inquieta-se com a subida dos ultranacionalistas. E o que fez a Europa para que isto não acontecesse? Nada! Limita-se a julgar criminosos de guerra em Haia (já viram que são quase todos sérvios, que há poucos kosovares, bósnios ou croatas?) e pouco mais. Espanta-se, agora! Talvez seja um pouco tarde, não?
publicado por Rui Oliveira às 00:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 28 de Dezembro de 2003
Islamismo radical e esquerda

Um dos grandes mistérios do mundo actual é ver grupos esquerdistas aliarem-se com islamitas radicais para combaterem a sociedade ocidental (que ambos detestam). À partida nada os aproximaria pois uns têm a ideia de um califado universal (onde política e religão não estão separados) e os outros querem impor uma utopia socialista.

Esta situação passa-se a nível de toda a Europa conforme se pode comprovar por este artigo sobre as relações do Islamismo e o Trotsquismo. A ler...

Talvez assim se compreende melhor certos afirmações, principalmente, de dirigentes do Bloco de Esquerda.

publicado por Rui Oliveira às 22:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 27 de Dezembro de 2003
Natal - historicidade e significado

Da leitura de alguns jornais e de conversas havidas, parece que houve gente que só agora descobriu que na época em que se celebra o Natal, havia, no passado, várias festas pagãs relativas ao Solstício de Inverno, uma das quais, Dies Natalis Solis Invicti, instituída pelo imperador Lucius Domitius Aurelianus em 274 d.C., teria sido cristianizada algures durante o séc. IV.

Tudo isto dito ou interpretado de uma forma a querer sugerir a menorização da festa de Natal, que não teria passado de uma apropriação da parte da Igreja de uma festa de origem pagã.

Não negando a importância desta festa pagã no estabelecimento do dia 25 de Dezembro como dia de nascimento de Jesus Cristo, dizer que esta é a única explicação para esse facto é insistir numa perspectiva redutora que não tem sequer em conta a época histórica em que isto sucedeu.

Não vou eu fazer aqui o relato circunstanciado do aparecimento do Natal - embora tenha um longo texto inédito sobre o assunto, considero que ainda não está na sua redacção final (prevejo publicação para o final do próximo ano) - quem quiser saber algo mais completo do que aquilo que saiu nos jornais sempre pode obter informação na Enciclopédia Católica em inglês ou em castelhano. Também este artigo rebate a opinião de que o Natal e a Páscoa são festas pagãs.

Também interessante para o assunto é um artigo publicado no Osservatore Romano de 24/12/1998, por um professor universitário, Tommaso Federici, com o título 24 giugno, 23 settembre, 25 dicembre: date storiche que defende que o estabelecimento de 25 de Dezembro como dia do nascimento de Cristo é uma data histórica.

É por isso que a explicação que muitos querem dar da substituição de uma festa pagã por uma festa cristã é apressada e não tem em conta, pelo menos, dois factores:

- o desejo de muitos dos primeiros cristão estabelecerem o dia de nascimento de Jesus Cristo; e,

- as várias batalhas teológicas que a Igreja empreendeu nessa época, por exemplo, contra o arianismo (que aliás foi condenado no Concílio Ecuménico de Niceia de 325), nesse mesmo séc. IV.

Estas heresias negavam a dupla natureza, divina e humana, de Jesus Cristo e, por isso, as festas de Natal e da Epifania foram sem dúvida um poderoso meio de afirmar a verdadeira fé em Jesus Cristo, Filho de Deus, "gerado não criado, consubstancial ao Pai" e nascido da Virgem Maria (cf. Símbolo de Fé de Niceia).

Na verdade o que a Igreja celebra no Natal, ou melhor dizendo, no Tempo de Natal, não é tanto o nascimento histórico de Jesus, mas antes a Vinda de Jesus, Filho de Deus e a sua Manifestação aos homens.

Querer esquecer este aspecto e privilegiar só a questão de uma tentativa de oposição aos pagãos, através de uma festa cristã é só contar meia história (ou ainda menos).

PS - Aliás, também no séc. IV, conforme testemunho de Santo Agostinho, na quinquagésima da Páscoa, foi introduzida no quadragésimo dia após a Páscoa, a festa da Ascensão que também incide sobre a dupla natureza de Jesus Cristo.

publicado por Rui Oliveira às 15:05
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2003
Pois é, maldita comercialização do Natal...
Hoje, dediquei-me a uma das coisas que mais detesto, as compras de Natal. Podem perguntar-me se detesto, porque as faço? E eu digo, muito simplesmente, não gosto de decepcionar quem gosta de mim. Por isso, lá faço eu este sacrificiozinho... Mas, como de costume, à última das útlimas horas...

PS - Amanhã tentarei falar mais seriamente do Natal, mas não prometo.
publicado por Rui Oliveira às 19:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 23 de Dezembro de 2003
A nova esquerda velha

Quando li esta notícia no JN sobre os 30 anos da LCI lembrei-me de escrever algo sobre o assunto.

Mas o tempo é pouco e através do Valete Fratres vi que Hermínio Santos tinha escrito no Diário Digital um editorial com o título de Radicais de Esquerda muito recomendável.

Para aqueles que se abespinham logo quando alguém diz que o Bloco de Esquerda não é uma força democrática, talvez seja bom este refrescar da memória e que o Louçã comemore os 30 anos da LCI, que depois deu em PSR que por sua vez se integra no BE, só lhe fica bem. É que quem se reclama de uma herança, seja sob que forma for, trotsquista dificilmente poderá ser considerado como um democrata.

Mais, quem se relembrar da actuação da LCI nos idos de 74 e 75, e eu tenho idade para me lembrar disso, embora na altura fosse muito jovem,, também não acredita na democracia de senhores que comemoram essa efeméride.

Será que os jovens que se sentem atraídos pelo discurso dito moderno destes senhores, não sentem o cheiro a mofo da suas teorias?

É pena, pois como dizia Cícero: "Historia uero testis temporum, lux ueritatis, uita memoriae, magistra uitae, nuntia uetustatis".

publicado por Rui Oliveira às 15:44
link do post | comentar | favorito
|
BBC e o Médio Oriente

Já ontem falei da BBC, mas nunca é de mais referir este caso, que muitas vezes é citado como sendo uma radiotelevisão pública de referência e acima de toda a suspeita quando, na verdade, está longe dessa exemplaridade.

A propósito da agressão ao ministro dos negócios estrangeiros egípcio em Jerusalém, segundo a o blog Biased BBC, entrada de 22/12/2003, ao dar a notícia a BBC escreveu num primeiro tempo: </a>

...the BBC's Jill McGivering, in Jerusalem, says the incident is sure to cause some embarrassment for the Israelis.

Realmente, embaraço para Israel? Cuja escolta ficou à porta para não ofender sensibilidades muçulmanas? A BBC não tem emenda. Ou tem?

É que quem for hoje ler a mesma notícia encontrará a seguinte redacção:

But the BBC's Jill McGivering, in Jerusalem, says the incident is likely to prove embarrassing for the Israeli and Palestinian authorities, as well as Egypt.

Parece que houve uma pequena modificação. E, o facto é que isto não é sequer original, pois já aconteceu várias vezes no passado.

Serviço público imparcial e isento sem dúvida!

publicado por Rui Oliveira às 15:24
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2003
Ó Baía, assim o Scolari não te convoca!
O Porto lá ganhou, dificilmente, em Alverca, mas o Baía escusava de dar um peru de Natal daquele tamanho. O Scolari é que deve estar contente.
publicado por Rui Oliveira às 23:07
link do post | comentar | favorito
|
A paz está longe...
O ministro dos negócios estrangeiros do Egipto, Ahmed Maher, foi atacado por palestinianos, no interior da mesquita Al Aqsa, durante uma visita ao Monte do Templo em Jerusalém.

Parece que há palestinianos que não perdoam o facto do Egipto ter tentado negociar uma trégua com os grupos radicais palestinianos, que estes recusaram.

Por aqui se vê que a paz não mora ainda em muitos espíritos...
publicado por Rui Oliveira às 23:04
link do post | comentar | favorito
|
A BBC ja não é o que era
Durante a guerra do Iraque não era raro, entre os partidários da guerra, chamarem Rádio Bagdade à TSF. Não querendo reeditar um debate havido em tempos sobre se a TSF era de esquerda ou não, o facto é que apesar de tudo a TSF nunca chegou aos extremos da BBC, em que o mesmo jornalista ligado ao caso do Dr. Kelly chegou a negar, no dia em que os americanos entraram em Bagdade pela primeira vez, que tal tivesse acontecido. Por tudo isto a BBC ganhou o título de Baathist Broadcasting Corporation.

Li no Andrew Sullivan que a BBC enviou um e-mail aos seus colaboradores para não utilizarem a expressão "antigo ditador" quando se referissem a Saddam, mas apenas como "deposto presidente do Iraque", com base de que como houve um referendo (em que, recorde-se, Saddam teve 100% dos votos), tecnicamente, ele não seria um ditador.

Obviamente do que se trata aqui, mais de que aquela estupidez do "politicamente correcto", é de um "parti pris" contra a guerra no Iraque e, especialmente, contra os americanos.

Enfim, a BBC já não tem emenda...
publicado por Rui Oliveira às 00:12
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 21 de Dezembro de 2003
Líbia renuncia às armas de destruição em massa
Parece que o Coronel Khadafi compreendeu a mensagem da guerra do Iraque e vai acabar com qualquer programa de ADM (já agora porque utilizar WMD se ADM serve perfeitamente?).

Será que é para valer? Vamos esperar, mas para já, parece que o Khadafi quer continuar a ser um sobrevivente.
publicado por Rui Oliveira às 00:02
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds