Liberae sunt enim nostrae cogitationes - Cícero (Mil. 29 - 79) . Um blog de Rui Oliveira superflumina@sapo.pt
.artigos recentes

. Tempo novo, totalitarismo...

. Golpistas encartados

. Amadorismo

. A habitual arrogância dos...

. Ainda a cópia privada

. Boa notícia...

. Maldito solarengo

. Querida televisão...

. Desinformação ou ignorânc...

. Ratisbona, laicidade e la...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.Sitemeter
Sexta-feira, 18 de Março de 2005
Um artigo esclarecedor
Via Political Correctness Watch cheguei à leitura deste artigo que fornece, talvez, argumentos mais do que irrefutáveis para recusar a ideia de institucionalização do "same-sex marriage". Bem sei que o problema ainda não se pôs em Portugal, mas não tardará muito...

Como diz o autor, não está em causa uma questão de direitos do hmossexuais, mas uma tentativa de modificar completamente a noção tradicional de casamento de modo a fazer com que ela pareça algo de completa impensável e politicamente incorrecta.
publicado por Rui Oliveira às 13:05
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Luis Soares a 18 de Março de 2005 às 03:01
O que me chamou mais atenção neste post não foi a parte que interessava, mas sim, a que talvez ninguem dê atenção. "Sei que o problema ainda não se pôs em Portugal, mas não tardará muito..." Isto sim, e em primeiro lugar, mexe comigo. Parece que estamos (os com bom senso) a preparar-nos todos os dias para a próxima batalha contra a decadência dos valores tradicionais (que não têm que implicar religião, basta a moral para quem prefira). É triste. Bem, mas vamos a isso, eles que venham...

http://obomsenso.blogspot.com
De Boss a 19 de Março de 2005 às 03:40
Que o casamento homossexual seja impensável para um hetero, acho normal, assim como para mim é impensável casar-me com uma mulher. Agora que seja "pensável" negar esse direito aos outros, isso sim não consigo entender.

Depois convém lembrar que o casamento homossexual não é uma "coisa nova". Já em vários momentos da História e um pouco por todo o mundo se celebraram uniões homossexuais, mesmo em rituais religiosos. E não me refiro apenas aos índios da América do Norte, mas também as bençãos dadas pela igreja católica no início da Idade Média, como fez a S. Sérgio e S. Baco.

Mas isto não têm que implicar religião, como diz o Luís Soares, até porque não é disso que se trata. Falamos do código civil, que deve estar sujeito à constituição, que é de tod@s e para tod@s, católicos ou não, e que graças à liberdade democrática são livres de se guiarem pela moral que bem entendam. Heteros e gays, com maior ou menor dificuldade, desde sempre que formaram uniões monogâmicas estáveis, e que de acordo com a constituição portuguesa, não deviam ser discriminadas, nomeadamente no código civil.

É tudo. Não se pretende retirar nenhum direito a ninguém, nem reformular nada.. Dizer que o casamento é entre um homem e uma mulher é uma noção que já não consegue ter validade legal além Elvas.
De CMF a 19 de Março de 2005 às 13:05
A tradicao de hoje nasceu da luta contra a tradicao de ontem. E a tradicao de ontem nasceu da luta contra a tradicao de anteontem. A civilizacao nasceu porque o homem tem a capacidade de lutar contra a tradicao e muda-la. E´isso que nos torna diferentes dos outros animais (bem, alguns simios tambem tem comportamento semelhante...). Defender a tradicao como valor imutavel e´recusar a humanidade...
(peco desculpa pela ausencia de acentos...)

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.tags

. aborto

. ambiente

. anti-semitismo

. blogosfera

. blogs

. ciência

. comentário

. comunicação social

. cultura

. desporto

. diversos

. ecologia

. economia

. educação

. efeméride

. eleições

. ensino

. europa

. frança

. futebol

. futebol portugal

. história

. história de portugal

. idiotas úteis

. internacional

. israel

. justiça

. língua

. literatura

. literatura cultura

. liturgia

. livros

. multiculturalismo

. música

. poesia

. polémicas

. política

. politicamente correcto

. porto

. portugal

. religião

. terrorismo

. tradução

. tradução comentário

. união europeia

. todas as tags

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds